As principais tendências de decoração de cozinhas em 2021
sexta, 30 de abril de 2021 delas.pt Sílvia Rodrigues JDias

As cozinhas são, cada vez mais, um espaço de convívio e criatividade. Saiba as tendências que vão dominar em 2021.

Mais tempo em casa durante a pandemia foi sinónimo de mais tempo passado na cozinha a explorar receitas. Certamente por isso, têm surgido tendências que fazem da cozinha não só um espaço de refeições, mas também de criatividade.

Delphine Pfeiffer, diretora de marketing da empresa Schmidt, partilhou algumas dicas:

 

Cozinha Integrada

Se no passado a cozinha era um espaço fechado, as tendências apontam para que, cada vez mais, seja integrada com a sala de estar. A inspiração no modelo “open space”, permite que quem estiver a cozinhar socialize com os restantes membros da casa.

Também por isso, surge a necessidade de utilizar eletrodomésticos embutidos e disfarçados por armários. Por outro lado, também as cores da cozinha devem condizer com a sala e, por isso, tendem a desaparecer os móveis em carvalho maciço. O ideal é fazer com que, os espaços que anteriormente eram dois, pareçam um.

 

Azul pan, bege rosa, terracota

Paul Picano, especialista em decoração, disse ter vindo a observar uma preferência por tons como o azul pan ou studio green. “Estas são cores atemporais das quais não nos vamos cansar”, explicou.

Uma outra cor que tem ganho terreno na decoração de cozinhas é o rosa pulverulento. Pfeiffer, disse: “Estamos a usar cada vez mais cores naturais como tons de bege, rosa ou até terracota”. A ideia é largar de vez o branco, para serem implementados tons suaves e quentes. A empresa francesa de decoração de cozinhas, Paul & Benjamin, foi mais longe e afirmou que o ideal é usar duas a três cores ao mesmo tempo na cozinha.

“Quando decides colocar uma cor pronunciada nos móveis baixos, opta por móveis leves em cima, para alongar. Porém, não recomendo um verniz mate para cores escuras, propício a impressões digitais”, concluíram.

 

Móveis lacados mate

Móveis lacados mate estão a fazer sucesso. Contudo, “lacas mate podem tornar-se num inferno ao primeiro raio de sol”, lamentou Paul Picano. Amandine Merle reiterou: “As superfícies são tão lisas e uniformes que todos os vestígios são visíveis, especialmente se a cozinha estiver bem exposta à luz”.

O ideal é optar por materiais tratados para serem anti-impressões digitais.

O brilho, assim como a madeira, estão, cada vez mais, a perder espaço para dar lugar aos laminados.

As cozinhas familiares inglesas, inspiradas nas VOL Kitchens – a referência para cozinhas britânicas clássicas – estão a inundar a rede social Pinterest. Paul Picano, acredita que as ditas “cozinhas de moldura” não vão tardar a ser um padrão.

Inovações na bancada

São inúmeras as inovações que podem ser impressas nas bancadas de cozinha. Paul Picano reconheceu a falta de renovação das bancadas de pedra, mas encontrou resposta no quartzito.

“São peças únicas, o cliente escolhe a sua fatia e os veios que mais lhe agradam. A pedra torna-se uma pintura por si só”, disse.

Uma outra tendência são os splashbacks – proteções em pedra para as paredes -, curtos (dez a 15 centímetros), ou muito altos, até ao armário superior.

Numa cozinha simples e branca, os splashbacks, com mosaicos divertidos, podem fazer a diferença.

 

Layouts cada vez mais simétricos

Se os materiais das cozinhas evoluíram muito, o seu design não ficou para trás. “Não estamos mais em designs clássicos de alinhamento de móveis na parte superior e na parte inferior”, explicou Delphine Pfeiffer. Isto ocorreu porque as cozinhas de hoje estão abertas e integradas a outras divisões da casa.

No entanto, é preciso ter em mente que layouts simétricos, além de aumentarem a funcionalidade da cozinha, também aumentam o valor a ser pago. Isto acontece porque existe mais mobiliário e elementos técnicos, o que exige não só um designer de cozinhas, mas um carpinteiro especializado.

“A questão do armazenamento continua a ser a mais importante para o cliente. Móveis muito profundos e altos, feitos sob medida, permitem aproveitar ao máximo o espaço e otimizar o armazenamento. Existe a noção de cozinha de convívio, mas o armazenamento continua a ser o primordial”, rematou a Pfeiffer.

 

Atenção aos detalhes

Os puxadores – invisíveis ou não – e a iluminação podem parecer pormenores, mas fazem toda a diferença. O toque industrial através dos candeeiros em metal tem convertido, cada vez mais, utilizadores.

This website uses cookies to improve the browsing of our users. By browsing the site you are consenting to its use. Close or learn more