Tapetes: o que considerar antes de comprar um?
sexta, 15 de novembro de 2019 Homify Sílvia Cardoso JDias

O mobiliário não é o principal veículo para marcar a diferença num espaço. Esse papel pertence aos têxteis. Repare que pode, por exemplo, ter a sala já equipada com o sofá, a unidade de televisão e a mesa de centro, mas é quando começa a decorá-la com tapetes, cortinas ou almofadas que ela ganha realmente personalidade.

Os tapetes assumem uma função decorativa e de valorização do espaço. Para elevar a sua sala, os quartos ou até o hall de entrada, considere o uso de tapetes que se notabilizem pelo toque, pela cor ou pelos motivos que exibem.

Para além de os tapetes serem uma forma de expressão criativa, também tornam as divisões mais confortáveis. Afinal de contas, é muito mais agradável pisar uma superfície macia do que o chão frio, sobretudo no inverno. Em termos acústicos, são, igualmente, uma mais-valia, uma vez que amortecem os sons. Numa casa com crianças, têm um papel particularmente importante, na medida em que protegem as superfícies, tornando-as antiderrapantes.

1. O tamanho

É um erro crasso não se tirar medidas aquando da compra de um tapete. Na decoração, as proporções são essenciais para um resultado equilibrado e harmonioso. Tenha em conta as medidas da divisão em casa e dos móveis que nela existem para escolher um tapete que lhes seja proporcional. Um tapete que tape o chão todo ou quase todo não ficará bem, mas um demasiado pequeno acabará também por ficar estranho.

Numa sala de estar, o tapete deve ficar preso por baixo do sofá para se evitar acidentes. Além disso, deve ser deixado um espaço entre ele e o móvel da televisão. Tenha, ainda, em conta os outros elementos como as poltronas, as mesas de apoio laterais, os candeeiros de pé, e assim por diante.

Um truque que pode aplicar é marcar os limites do tapete, no chão, com fita-cola normal ou de pintor. Assim, conseguirá ter uma noção mais realista em relação ao espaço que ele vai ocupar.

2. O estilo

O tapete pode ir ao encontro do estilo da sua sala ou surgir como um elemento contrastante. Não é incomum vermos um ambiente moderno e clean com um tapete persa ou um tapete de arraiolos, por exemplo, a trazer um toque diferenciador à atmosfera.

Se não quiser arriscar, seguir o estilo do espaço é o mais fácil para afunilar o leque de escolhas. Seja como for, o tapete deve ter alguma ligação com o ambiente para não destoar totalmente.

3. As cores

O estilo e as cores andam de mãos dadas. Geralmente, os tapetes modernos têm tons sóbrios, mas os tapetes persas ou de arraiolos, já acima mencionados, notabilizam-se pelos padrões coloridos e vibrantes. Na decoração, tende-se a apostar em tons claros quando se pretende melhorar a percepção visual que se tem de um espaço, pelo que uma cor clara será sempre uma boa opção para uma área pequena. Já num espaço amplo, pode-se apostar em tonalidades mais escuras ou saturadas. Se não pretende trocar de tapete tão cedo e quer uma peça que dê com tudo, sugerimos que favoreça um com uma cor neutra e um tapete sem padrões (ou com um padrão simples).

4. A utilização que é dada ao espaço

Quando se escolhe um tapete, nem sempre se pensa na utilização que vai ser dada ao espaço, mas deve-se pesar este ponto, nomeadamente se a área vai ser usada por crianças pequenas (que sujam e passam muito tempo a brincar sobre o tapete) e animais de estimação. Neste caso, os tapetes de sisal são uma boa opção visto que são duráveis, fáceis de limpar e de manter, apesar de não serem imunes à água e à humidade. Os tapetes de sisal enquadram-se em espaços de diferentes estilos, embora apareçam mais em ambientes de estilo escandinavo, rústico, mediterrânico ou campestre.

5. O formato

Como sabemos, há tapetes de vários formatos. Podem ser rectangulares, quadrados, redondos e não só! O formato do tapete deverá ser escolhido tendo em conta o do próprio espaço onde ele vai ser inserido e aquilo que se quer pôr em destaque. Um tapete redondo, por exemplo, é uma excelente opção para dar ênfase a uma mesa redonda.

À semelhança dos tapetes redondos, os tapetes quadrados também ficam bem a fazer par com elementos do mesmo formato ou em salas quadradas. Por sua vez, os tapetes rectangulares são os mais tradicionais, aparecendo em áreas amplas ou quando se quer que determinado espaço pareça mais longo.

6. Planos futuros

Está a pensar mudar-se a curto ou a médio-prazo? Então, é melhor esperar pela mudança para investir num tapete de qualidade. Se comprar antes, corre o risco de o tapete não caber no novo espaço. Tenha, também, em conta os seus planos futuros em relação à família. Os casais que estão a pensar começar construir família devem planear a decoração em função desse objectivo. As casas onde existem bebés ou crianças pequenas devem ser preparadas para o efeito.

7. As tendências

Seguir ou não tendências: eis a questão. Na homify, estamos, claro está, atentos às tendências que, todos os anos, surgem em catadupa. Acompanhá-las é oportuno para tirar ideias e dar um novo élan à decoração, mas não deve ser vítima delas. Encare-as com equilíbrio e adopte apenas aquelas de que realmente gosta e que acha que não o vão cansar rapidamente. Como é óbvio, pode, de quando em vez, sair da sua zona de conforto e arriscar um bocadinho, mas, tendo em conta que os tapetes não costumam ser baratos, é importante haver alguma ponderação.

Uma das tendências mais marcantes no que toca ao uso de tapetes é a sobreposição dos mesmos. Pode-se sobrepor mais de dois ou optar, por exemplo, por colocar um tapete de sisal ou de juta por baixo e um tapete colorido e mais pequeno por cima. Esta tendência é particularmente forte no estilo boho.

Este website usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização. Fechar ou Saber Mais