Os 8 maiores erros de organização!
quinta, 24 de agosto de 2017 Sapo Strazzera Jdias

Há muitas coisas que mostram desorganização em casa: sejam fios soltos, armários totalmente caóticos, prateleiras desarrumada... A ordem é: organizar! Para isso saiba quais os erros que não pode cometer.

Há vários erros que se cometem na hora de arrumar a casa, alguns que até cometemos sem nos apercebermos. Então o que fazer para os evitar? O primeiro passo é entender a diferença entre organizar e arrumar. São duas coisas diferentes e por isso mostramos os 8 maiores erros de organização e quais as soluções para os mesmos. A blogger do 'The master bedroom' dá uma ajuda e mostra alguns exemplos do que deve fazer em alguns dos casos para manter a sua casa bonita e organizada.

Conheça então os 8 maiores erros de organização:

1 - Confundir organizar com arrumar

Este é o principal erro. Há que entender que arrumar e organizar são ações diferentes. As duas têm como objetivo final tornar o ambiente belo e agradável. A diferença é que a arrumação é temporária e puramente estética, enquanto a organização é racional, personalizada e permanente. Ou seja: não é só para ficar bonito, também é preciso ser funcional e prático.

2 - Não ter um método de organização

Já sabemos que para organizar precisa de uma lógica, por isso mesmo até para deitar coisas fora precisa de o fazer com um sentido. Antes de abrir os armários e começar a tirar os objetos, páre para pensar. Reflita: quem usa aquele espaço? Qual é a sua função? Por que ele está tão desarrumado? Segundo a japonesa Marie Kondo, autora do best-seller 'A Magia da Arrumação', apenas é necessário manter em casa os objetos que lhe tragam alegria. Uma vez escolhidos, é só determinar o lugar certo de cada um. Depois, a organização funciona somente com manutenção, sem serem necessárias grande arrumações mensais. Esse truque vai economizar-lhe tempo, a curto e longo prazo. Na despensa, por exemplo, os alimentos pouco usados como sacos extras de farinha, arroz e açúcar ficam nas prateleiras mais altas. Nos nichos, organize os itens por tamanho, ou sejam, os maiores ficam atrás. Tudo que é usado com frequência fica no meio, ao alcance das mãos. Dentro do armário, use suportes para elevar itens e cestinhas para organizar conjuntos de temperos.

3 - Mudar o lugar das coisas

De vez em quando, mudar o lugar dos objetos é benéfico mas as coisas em casa precisam ter um espaço fixo. As cartas precisam da sua própria caixa ou gaveta, pode ter um espaço para velas, outro para ferramentas, outro para produtos de papelaria… No caso de guardá-los em caixas, coloque etiquetas em todas (como já foi sugerido pela blogger 'The master bedroom' na foto acima partilhada). Quando cada objeto tem um lugar específico para estar e um motivo, não tem porque haver confusão. Depois de o usar, lembre-se apenas de colocá-los de volta no lugar certo.

4 - Colocar muitos enfeites e objetos em pontos focais da casa

Temos cinco ambientes em casa, como por exemplo: o hall, o quarto, a sala, a casa de banho e a cozinha. Nos cinco, costumamos abusar de decorações específicas, o que dá cabo da decoração. O hall normalmente inunda-se de molduras cada um de um tamanho e com um modelo diferente; a mesa de cabeceira do quarto possui plantas, revistas, perfumes, cremes, mais fotos… e o frigorífico, cheio de ímans e afins. É importante estabelecer um limite de itens em cada local. Quanto menos tiver mais destaque terá o que colocar em disposição.  Isso também vale para estantes: preencha apenas 80% das prateleiras e apenas com os livros importantes. Assim, você deixa espaço para objetos decorativos e para o olhar poder respirar.

5 - Guardar tudo aquilo que já não precisa

É comum guardarmos o que já não usamos e ao fazer uma limpeza profunda encontramos desde cadernos antigos até roupas e sapatos que já não lhe servem ou que nunca mais irá usar. Por isso faça esta revisão de forma frequente. Além de ajudar o próximo quando os itens estão próprios para doação vai libertar espaço, fazendo com que os seus objetos caibam de maneira mais ordenada nos devidos lugares

6 - Ter móveis a mais para o tamanho da sua casa ou da divisão em causa

Pecar pelo excesso é um erro tanto para o que guardamos dentro dos armários e expomos nas prateleiras quanto para os móveis da casa. Não adianta querer ter um sofá de três lugares numa sala que só tem espaço para um de dois; esse é um erro não só de decoração, como de organização, porque diminui o espaço útil para colocar o que realmente importa. Ambientes com muitos móveis parecem estar sempre cheios, então qualquer item fora do lugar acaba por se tornar uma confusão.

Uma boa ideia para aproveitar bem o espaço é investir em mobiliário multifuncional, como camas ao estilo sommier que se abrem para armazenamento do que necessitar. Só isso pode fazer com que não precise de comprar um móvel para arrumação e dessa forma ganhar imenso espaço.

7 - Arrumar o armário sem pensar na acessibilidade

Esta regra vale ouro quando toca à arrumação de roupas e sapateiras. Às vezes deixamos à frente aqueles sapatos de salto super bonitos ou aquela roupa de marca que nos custou os olhos da cara, mas sabemos que essas escolhas não fazem parte do nosso dia a dia. Essa atitude é contra produtiva. Deve sempre arrumar por ordem daquilo que precisa no dia a dia de forma a facilitar e ganhar tempo nas escolhas matinais.

8 - Não arrumar cabos e fios

Cabos e fios espalhados de qualquer maneira são a maior confusão. Deixam tudo com mau aspeto e depois na hora de os arrumar é terrível. Para o caso dos cabos que usa ocasionalmente, a solução é tirá-los de vista. Guarde-os numa caixa ou gaveta, tal como mostramos no exemplo abaixo. Já os fios que ficam no chão, ligados a aparelhos como a TV e o computador, podem ser conduzidos rente à parede por suportes específicos que são vendidos em lojas de construção ou materiais gerais.

Este website usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao navegar no site está a consentir a sua utilização. Fechar ou Saber Mais